últimas

CPI da Pandemia: Servidora do Ministério da Saúde admite ruptura de contrato somente após o escândalo no caso Covaxin



A servidora do Ministério da Saúde, Regina Célia, admitiu que só fez relatório recomendando a ruptura do contrato com as vacinas da Bharat Biotech depois que o escândalo da Covaxin explodiu na CPI da Pandemia.

A revelação veio após a pergunta do Senador Renan Calheiros (MDB-AL) - relator da Comissão- , perguntar se o Ministério da Saúde tinha a intenção de não seguir em frente com um contrato supostamente fraudulento.

Regina disse que ela emitiu um relatório após findar o prazo de parcelas apontando o descumprimento total do contrato e submeteu à secretaria de vigilância para avaliar a pertinência da continuação.

O relatório foi emitido no dia 23 de junho, um dia após o escândalo vir à tona.

O senador Omar Aziz, lembrou que o parecer contrário só veio após o escândalo ser denunciado pela Folha de São Paulo. A servidora Regina, afirmou que estava de férias e Omar voltou a dizer que ela só foi se manifestar depois das denúncias.

Logo após a manifestação, a base governista na voz do senador Marcos Rogério, tentou interromper a fala dos senadores com a depoente.


Nenhum comentário