últimas

3 Homens estão há a 7 dias perdidos na mata as buscas continuam

Moradores de Urucará (a 261 quilômetros de Manaus) vivem dias sob tensão com o caso de três caçadores, identificados como Ademir Serrão, Valdenir Pantoja Serrão e José Neto, que completam, neste segunda, 14, oito dias desaparecidos. No último dia 7, o trio havia saído para caçar na comunidade Buçuzal, zona rural da cidade, mas não retornou para casa. Autoridades da região tomaram conhecimento da situação na manhã seguinte, 6, quando as buscas iniciaram.


Neste sábado, após uma semana intensa de buscas sem sucesso, o secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), general Mansur, enviou uma equipe de reforço policial para o município com o objetivo de apoiar nas buscas dos desaparecidos. De acordo com a pasta, 14 homens, entre nove bombeiros, três policiais civis, além de dois agentes do Departamento Integrado de Operações Aéreas (Dioa), que levam a aeronave Petrel para sobrevoar, foram deslocados para a região onde os caçadores desapareceram 


“Já estamos há vários dias dando total apoio nesta operação. Toda logística com lanchas, carros, motos e triciclos. Todos sendo abastecidos pela prefeitura, além do apoio com alimentação, água potável, suprimentos. Agora por volta de 17 horas, está chegando mais uma equipe do corpo de bombeiros e policiais civis, especialistas em matas, além do apoio do canil da polícia militar. Uma megaoperação que nos enche de esperança para que nosso irmãos sejam encontrados”, declarou a Prefeitura de Urucará, nesse sábado, 12, nas redes sociais.


Até sexta-feira, 11, mais de 100 quilômetros foram percorridos na tentativa de encontrar os caçadores. Além da SSP-AM, participam das buscas o Comando Militar da Amazônia (CMA). Para transportar parte do reforço e sobrevoar a região, o 4º Batalhão de Aviação do Exército, Esquadrão Coronel Ricardo Pavanello (4º BAvEx), disponibilizou nesse sábado, 12, o helicóptero Black Hawk, um apoio aéreo que estava, há dias, sendo requisitado pela população.


Apreensão

Segundo o prefeito Enrico Falabella, apesar dos caçadores continuarem desaparecidos, foram encontrados alguns pertences deles, como espingarda, sandálias, facão. A situação que se prolonga a cada instante vem comovendo a população, que também se disponibiliza para ajudar com as buscas do trio.


“Todos estamos comovidos com a situação. Muito triste, mas para Deus, nada é impossível. Estejamos todos em oração e Deus vai nos ouvir. Logo isso vai passar. Ele está no comando de tudo”, disse Aldenise Gama, moradora de Urucará.


Maiane Marques, sobrinha de um dos desaparecidos, relata a aflição e a dor incalculável que vive. Ela conta sobre as lembranças da infância com o tio e afirma que, neste momento, a fé em encontrar os caçadores move a família.


“A vontade é tão grande de estar com minha mãe e meus tios nesse momento. Essa aflição que não passa”, relata a jovem. Nas redes sociais, ela pede que informações falsas sobre o caso não sejam compartilhadas e que todos entendam a dor da família neste momento de buscas.


Meu tio, junto com meus primos, ainda não foram encontrados. Peço que entendam a nossa dor! Toda informação errada nos deixa mais triste. Isso atrapalha na busca”, implora Maiane Marques.

Nenhum comentário